#001 – O estudo do Inglês e o processo de aprendizagem

A prática do inglês foi uma dificuldade até agora.

Recentemente comecei a procura para entender esta dificuldade. Notei que não avancei nos estudos estruturados. Lembro que também senti dificuldades em seguir com a faculdade e a pós graduação. Eu conseguia entender muita coisa rapidamente e aquilo que precisava aprofundar não gostava como estava sendo passado,  não gostava muito da estrutura, das regras, dos passos a serem dados. Percebo agora que a metodologia de ensino praticada não era adequada à minha forma de aprender.

Pronto! Percebi que a minha forma de aprender, é uma forma de aprender. Portanto é preciso entender como eu aprendo.

Este processo começou há alguns anos. Sinto que a investigação sobre minha disciplina, dedicação e foco começaram a intensificar há uns 3 anos.

Nestes últimos 2-3 anos, percebi uma dificuldade em criar uma rotina, em conseguir realizar todas as tarefas, em ler tudo o que eu queria ler. Comecei perceber que o volume de entrada de informação e afazeres era maior que a realização e saída delas.

Sim, eu realizei muita coisa, aprendi muita coisa e o meu desenvolvimento em várias áreas é notório. Ainda assim, continuava tendo este fluxo de entrada maior que o de saída.

Tive vários entendimentos, insights, durante este processo. Processo de angústias, de não entender o por quê da não realização à tempo, dos atrasos, do fazer nos últimos minutos, ou mesmo do desistir de fazer.

Entendi que sim, há muita informação disponível e que quantdo estamos descobrindo assuntos novos, coisas novas, sempre aparecem mais e mais informações, novidades, notícias e cursos àquele respeito.

Percebi que há em mim uma necessidade de saber muito, querer saber o máximo possível sobre um assunto. Isso pode ser bom desde que não traga paralisia para o processo. Trouxe então o entendimento de que é preciso saber o tanto suficiente para poder ir para a prática, depois voltar para aprender um pouco mais, avançar um pouco mais, e assim seguir com prática-aprendizagem-estudo-prática.

Pude começar a perceber algumas crenças que me impediam de estabelecer uma rotina de estudos, de dedicação. Juntando com isso, a pressão por dar conta de tudo que fui colocando como necessário de realizar.

Crenças recebidas pela cultura social, familiar, profissional e de parcerias. Crenças que trazem o olhar para a comparação e concorrência, e que buscam moldar em formatos e padrões.  Estas fizeram um estrago inicial mas que começou a ser mudado há alguns anos permitindo agora enxergar àqueles padrões que ainda estavam ali, escondidinhos, vez ou outra tornando  à ativa.

— fim deste relato  — vai ser continuado.

 

 

Anúncios